Depoimentos · Sexualidade

Dor e falta de prazer na relação tem tratamento!

Olá queridas,

Como vamos atender neste feriado, aproveitamos para deixar mais um depoimento aqui pra vocês.

Este depoimento reforça a importância de procurar o ginecologista quando se apresenta alguma dificuldade/dor durante a penetração (saiba mais aqui). Infelizmente, muitos deles mesmo sabendo sobre o Vaginismo, acabam encaminhando a paciente diretamente para tratamento com psicólogo. Quando a mulher não está em um relacionamento (e não tem pressa em resolver o problema) isso não causa muitos prejuízos, no entanto, quando a mulher descobre o Vaginismo na “noite de núpcias” por exemplo, qualquer atraso ou demora no tratamento da parte física pode causar grandes estragos na relação, pois o casal acaba se distanciando e o relacionamento pode se deteriorar ao ponto de dificultar bastante o tratamento físico, e é muito comum causar a desistência do tratamento e da relação.

Muitas mulheres acreditam que sentir dor ou desconforto na penetração é uma “coisa normal”. Não acredite nisso! Acontecer de vez em quando (se estiver menstruada, com cólica, ou se não estiver muito lubrificada por exemplo) não é um problema, mas se isso for frequente, procure ajuda! Às vezes pode ser alguma coisa simples, mas em alguns casos pode ser uma indicação de uma disfunção sexual ou algo mais grave.

Para deixá-las ainda mais animadas e esperançosas com o tratamento do Vaginismo, aqui está mais um depoimento de cura!

Bjs 😉

 

“Desde a minha primeira relação sexual sempre tive dificuldades, a penetração doía muito e eu nunca sentia prazer. Fui na ginecologista uma vez e, quando ela tentou fazer o papanicolau, foi a mesma dor forte e não consegui fazer o exame. A médica me disse que eu tinha vaginismo e me pediu para procurar uma psicóloga.

Eu, no entanto, acredito em tratamentos mais práticos! Então descobri a fisioterapia para cura do vaginismo, e a partir disso encontrei a Dra. Lívia.

Desde a primeira sessão ela foi muito profissional, respeitosa e educada. A Dra. Lívia me explicou em detalhes essa disfunção, como acontece e como iríamos tratá-la. Uma vez por semana eu ia na consulta e nos demais dias fazia os exercícios em casa, que eram bem tranquilos e foram progredindo aos poucos conforme eu ia ficando mais acostumada e relaxada com o tratamento.

Após 10 sessões, o progresso foi visível! Já conseguia colocar próteses com tamanho semelhante a um pênis de verdade sem sentir dor. Hoje me sinto curada e bem mais relaxada com toda essa questão da sexualidade.

Só tenho a agradecer à Dra. Lívia e recomendo completamente o tratamento dela!”

 

P.S.: Prometo que não vou ficar mais tão sumida aqui do Blog (até que tenho conseguido postar aqui com uma frequência maior, mas ainda estou devendo muuuuitos depoimentos para vocês).

 

Não deixe de se inscrever no Blog, assim você receberá notificação de novos posts por e-mail! E ajude outras mulheres compartilhando nossos textos nas redes sociais!

 

#AssoalhoPelvico #Perineo #Pelve #Vagina #Vaginismo #DorNaRelacao #DorNoSexo #Exercicio #Tratamento #Depoimento #Historia #Relato #Cura #Fisioterapia #FisioterapiaUroginecologica #FisioterapiaPelvica #LiviaFrulani

Anúncios

4 comentários em “Dor e falta de prazer na relação tem tratamento!

  1. Fiz uma perineoplastia ha um ano.
    Depois disto minha vagina atrofiou.
    Sinto muita dor na penetração.
    No exame ginecológico ,a médica precisou usar o dilatador menor…
    Tenho lubrificação e desejo, embora ja tenha entrado na menopausa.
    O que fazer?

    Curtir

    1. Olá Ines,

      Desculpe pela demora em te responder.

      Neste tipo de cirurgia é “costurada” muita pele da entrada da vagina, o que acaba dificultando e tornando doloroso qualquer tipo de penetração (com o dedo, pênis ou mesmo para realizar exames ginecológicos).
      Juntamente com o período da menopausa (que há grandes alterações hormonais no corpo da mulher), a região vaginal também sofre alterações hormonais, levando à atrofia.

      O ideal é você conversar com sua médica sobre essa questão da atrofia e ver junto com ela qual a melhor forma de te ajudar, se é com uso de medicações locais, uma nova cirurgia para “abrir” a “pele” da entrada da vagina… Caso você não possa fazer reposição hormonal e não seja indicada nova cirurgia, a fisioterapia traz excelentes resultados, ajudando no alongamento e relaxamento muscular dessa região.

      Qualquer coisa, entre em contato para marcarmos uma avaliação.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s