Depoimentos · Sexualidade

Relato de ex-vagínica: “Após a cura me senti uma mulher completa!”

Olá meninas,

Estou muito feliz de estar postando para vocês mais um depoimento, mais uma história de cura do Vaginismo! (milagre! falei que não iria falhar dessa vez… vários depoimentos essa semana hein?!)

Muitas mulheres acabam acreditando ser normal sentir dor para tentar a penetração só porque estão começando sua vida sexual. Outras acreditam que apesar de conseguir fazer os exames ginecológicos “sofrendo”, suando frio, se tremendo toda e com dor, está tudo bem… porque deve ser assim mesmo (leia outro depoimento sobre dificuldade para realizar exames ginecológicos).

Não meninas, não precisa ser assim!

É importante que vocês entendam que não é normal sentir dor, nunca!!! Se está com alguma dessas dificuldades, procure o ginecologista (para verificar se não há nada físico/orgânico) causando o problema, e se nada for encontrado, procure uma Fisioterapeuta Uroginecológica/Pélvica para te avaliar e iniciar o tratamento .

Quanto antes procurarem ajuda, menos tempo sofrerão com essas dificuldades.

Abaixo deixo mais um depoimento para vocês! 

 

“Tenho 39 anos e vim contar a minha história sobre o Vaginismo.

Me casei, e por ter uma religião tive que me casar virgem. E como toda moça que sonha com seu casamento, lua-de-mel, também sonhei… sonhei tanto, que a nossa lua-de-mel foi a pior! Não gosto nem de lembrar.

Eu e meu marido éramos virgens. Achei que aquela dor era normal, pois sempre escutei que era normal sentir dor porque era o rompimento do hímen. Mas mesmo tentando, não conseguíamos! De novo achei que era por sermos virgens, e durante toda a viagem não conseguimos nada de penetração.

Então, voltamos pra casa e imaginei “em casa será diferente”, “talvez estivesse nervosa”… mas em casa também não consegui! Ficava arrasada… mas meu marido sempre foi muito paciente, pedia que não me desesperasse pois uma hora ia acontecer.

Nada aconteceu! Uma ano se passou, e eu ainda não tinha conseguido a tal penetração. Então decidi que não poderia continuar assim… preciso ter um filho! Mesmo não falando pra ninguém parecia que as pessoas me olhavam e
sabiam do problema.

Aí, decidi tentar de novo e por fim consegui, mas a dor foi muito forte, tão forte que chorei. Claro que depois eu evitava ter relações, pois sentia muitas dores.

Três longos anos se passaram, e em todo esse tempo procurei ajuda (não uma, mas várias ginecologistas) pra saber sobre essas dores. Escutei que minha “vagina era seca”, que deveria relaxar pra não sentir dor, tem que relaxar!!!

Eu até tentava relaxar, mas não conseguia! Quando ia fazer o preventivo saia de lá chorando devido a dor e por me sentir frustrada. Pensava “meu Deus, porque aconteceu isso comigo?”, até que consegui um dos meus objetivos: engravidei! Fiquei muito feliz, consegui levar a gestação até o fim e ter meu filho.

Voltei no meu obstetra e falei pra ele das dores, ele me examinou e não encontrou nada. Aí sim ele me disse que poderia ser vaginismo. Nunca havia escutado sobre isso…

Foi aí que resolvi procurar na internet e li sobre esse “monstro” que tanto me assustava. Descobri que tinha tratamento e fui atrás da fisioterapia. A fisioterapeuta me examinou, me explicou sobre o tratamento, mas naquele momento não tinha condições financeiras, e acabei desistindo.

O tempo passou, e enfim, depois de 10 anos de casada nesse sofrimento decidi me tratar, não só pelo meu marido, mas sim por mim, para poder fazer os exames preventivos. E aí encontrei um anjo que se chama Lívia Frulani (que foi minha fisioterapeuta), que no momento não pensou só no dinheiro e sim naquela paciente que estava na frente dela, já desacreditada de algum tipo de cura. Ela me explicou tudo e que tinha cura.

Então começamos o tratamento, e com a paciência dela comecei me sentir calma e segura. Ela disse que depende da paciente quantas sessões precisa fazer, às vezes 5, 7, 10… até 20 sessões, mas acredito que por eu já ter tido relação antes foi mais fácil pra mim. Em 7 sessões já estava curada!

Quando ela me liberou fiquei em pânico, pois teria que ter relação justamente pra saber se não sentiria mais as dores. Depois de dois dias é que decidi que era a hora e rolou tão naturalmente!!! Pela primeira vez não senti dor, mas também não deu pra sentir prazer. Como minha fisioterapeuta disse, o importante é não ter dor, que com o tempo vinha o prazer… mas eu já estava feliz por ter conseguido!!!

A partir daí me senti uma mulher completa, como nunca tinha me sentido antes! Quando terminamos a relação, chorei, mas dessa vez de alegria!

Bom, mas o maior medo ainda era fazer o exame preventivo (papanicolau). Fui com muito medo, mas consegui fazer!!! Voltei pra casa radiante!

Hoje me sinto a mulher mais feliz do mundo, e devo isso a esse anjo que entrou na minha vida, e que com sua ajuda me fez sentir uma mulher realizada.

Esse é só um pequeno relato da minha vida de vagínica (hoje ex-vagínica rsrsrs). Dra. Lívia Frulani como já disse, você foi um anjo na minha vida, serei sempre grata. Obrigada!”

 

 

Agendamento de consultas ou dúvidas? Entre em contato conosco:

Corpore & Mente

Tel: (11) 2495-7254 / 96340-0948

e-mail: liviafrulani@corporemente.com

 

Ah, não deixe de se inscrever no Blog, assim você receberá notificação de novos posts por e-mail! E ajude outras mulheres compartilhando nossos textos nas redes sociais!

 

#AssoalhoPelvico #Perineo #Pelve #Vagina #Vaginismo #Dor #Dificuldade #Penetracao #DorNaRelacao #DorNoSexo #Tratamento #Exercicio #Cura #Depoimento #Historia #Relato #Fisioterapia #FisioterapiaUroginecologica #FisioterapiaPelvica #LiviaFrulani

Anúncios

Um comentário em “Relato de ex-vagínica: “Após a cura me senti uma mulher completa!”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s