Depoimentos

Vaginismo: Informação é a chave para a cura

Olá queridas!

Como foram de festas?! Eu aproveitei pra renovar as energias e descansar um pouquinho (foram só 15 dias), e assim poder começar esse ano de 2019 com força total! Temos vários temas já definidos para novos posts, com muitas novidades no que se refere as disfunções sexuais. O nosso objetivo principal aqui neste espaço, continua a ser a divulgação de informações para que possamos ajudar o maior número possível de mulheres a entender o que acontece com elas.

Todo começo de ano recebemos uma grande quantidade de mensagens de mulheres que descobrem o Blog e procuram informações sobre sua condição. Algumas passam aqui na clínica, outras recebem indicações de profissionais (em outras cidades e estados), mas para uma boa parcela delas só podemos ajudar com algumas orientações gerais, já que se encontram em localidades sem nenhum tipo de profissional capacitado para atendê-las.

Apesar de não termos nenhum estudo mais estruturado em mãos, pelo que observamos das mensagens e dos relatos das mulheres que nos procuram aqui na clínica, a maioria das informações sobre as suas disfunções sexuais são obtidas na internet, que apesar das facilidades tem muita informação desencontrada, desatualizada e em muitos casos, distorcida.

Algumas das maiores dificuldades no diagnóstico e tratamento das disfunções sexuais, ainda são o preconceito e a falta de informações dos profissionais de saúde. Só pra não ter confusão, vamos deixar claro que não estamos cobrando que todos os profissionais da área ginecológica tenham que ler todos os artigos e livros sobre o assunto, mas que pelo menos saibam que essas condições existem e que não se trata de frescura.

Apesar de parecer proposital (não é!), o assunto deste primeiro post do ano acabou coincidindo com o tema principal do depoimento a seguir (que já está comigo faz muito tempo e eu havia prometido pra autora no final do ano passado que faria a postagem assim que fosse possível).

Espero que gostem!

😘

 

“Meninas, chegou meu grande dia! O dia do meu depoimento! Pega a pipoca porque ele provavelmente será grande pois a minha intenção é ajudar quem ainda não obteve a cura, assim como centenas de depoimentos já me ajudaram!

Me chamo Julyana, sou de São Paulo e tenho 27 anos. Hoje sou moderadora do grupo Vaginismo – Buscando a Cura.

Tudo começou lá nos 19/20 anos quando resolvi que começaria minha vida sexual. Fui no ginecologista para fazer exames e começar com a pilula. Pois sempre tive medo de engravidar nova! (acho que esse medo unido ao medo da dor desencadeou meu vaginismo).

Enfim, protegida, fui eu lá tentar e NADA, parecia que tinha uma PAREDE e que eu era FECHADA! Depois de umas tentativas com meu primeiro namorado, lá fui eu em outra ginecologista. Ouvi o seguinte: ‘isso é falta de experiência, ansiedade! Toma um vinho que vai’. Mas nada adiantava e eu não conseguia perder a bendita virgindade.

Passou um tempo procurei outra médica já com o termo ‘vaginismo’ que havia ouvido falar por cima na internet, mas não aceitava que eu tinha isso porque eu só ouvia relatos de abusos e traumas, coisas que eu graças a Deus nunca passei. Fui encaminhada para a psico, fui em duas e nada adiantou pra mim! Elas queriam arrancar de mim traumas que eu não tinha! Desisti pois achava que se esse era o tratamento, então, não era o que eu tinha mesmo!

O tempo passou, aos 26 anos conheci a pessoa que hoje é meu noivo e fui super sincera de que eu tinha uma dificuldade, mas não sabia o que era! Novas tentativas… uma parede impedia a penetração e eu NUNCA havia falado disso com NINGUÉM por vergonha! Eu pensava que só eu era assim.

Até que depois de um tempo sem trabalhar, comecei em um emprego e fiz meu convênio. Novamente marquei ginecologista e contei tudo isso acima pra ela, e ela disse que era vaginismo e me encaminho para a psico novamente!

Procurando na internet alguma que fosse especializada em vaginismo, DEUS me levou ao blog da minha maravilhosa fisioterapeuta Lívia Frulani e tive pela PRIMEIRA vez a noção que existia a FISIOTERAPIA! Lembrando que fui em muitas ginecos e NENHUMA falou da fisioterapia!

Naquele momento, o céu se abriu e eu tive certeza de que era Deus me preparando para a minha cura! Lendo todos os depoimentos dela eu chorava muito, pois vi que não estava sozinha e que TINHA CURA. Na mesma hora mandei um e-mail, desesperado hahah e foi respondido em questão de minutos!!! Marquei a avaliação, com medo de tudo, entrei no grupo do Facebook, via as meninas falando sobre dilatadores, e etc, e me desesperava imaginar algo dentro de mim, afinal nem 1 dedo havia entrado!

Na avaliação senti uma sintonia muito boa com a Dra Lívia, ela acalmou meu coração, me deu esperanças! Na semana seguinte já teria a primeira sessão! Isso em Junho/2017.

Na PRIMEIRA sessão conseguimos colocar 1 dedo, e depois 2 dedos! Até hoje, de todos os avanços é o que mais me emociona lembrar, porque eu achava impossível e ela mostrou que eu era normal SIM! Depois disso? Só avanço! Segui a risca tudo que ela falava! Na segunda sessão já começamos no dilatador amarelo da Absoloo e tudo foi avançando até que na 10ª sessão tive a pré-alta!

Claro que tive essa pré-alta pois obedecia tudo que ela falava pra eu fazer em casa, com calma, paciência. Entrei no grupo do whatsapp e conheci meninas que fizeram toda a diferença no meu tratamento. A das moças me doou o Kit da Absoloo para que eu pudesse fazer o tratamento em casa. Desse grupo surgiu uma amizade com meninas que foram minha terapia! Apoio, motivação, carinho! Elas foram base, conversar com elas me fez perder o medo de dividir o meu problema e assim tirei um peso ao dividir com algumas amigas próximas meu problema e ter mais apoio!

Durante o tratamento a Dra. Lívia também foi minha amiga e me ajudava com sua calma, sua serenidade, sua torcida e comemoração com cada vitória! Me deu dicas VALIOSAS que hoje divido com quem precisa, me ensinou MUITA COISA, me fez perder o medo de me tocar, me conhecer! Me trouxe intimidade comigo mesma!

Depois de 10 sessões estava pronta para relação e consegui! Tive relações sem DOR! Eu estava curada! parece um sonho!

Ainda faço e continuarei semanalmente os exercícios, alongamento diário, e tudo que a Dra. me ensinou, pois sei que é um músculo e quero deixar ele bem cuidado rs.

Quero agradecer muito a Deus por no tempo DELE ter me feito conhecer a Lívia, que me trouxe a cura. Agradecer minhas novas amigas pela força, agradecer meu noivo pela paciência e cuidado, por me acompanhar, me ajudar, esperar! Agradecer a mim mesma! Por não desistir…

MENINAS SE MOTIVEM! Todos os dias ao sair da sessão eu ‘me dava uma estrelinha’ e um chocolate com prêmio por ter ido bem hahahaha, não podemos nos auto-boicotar!

Em especial, obrigada Drª Lívia, pela paciência, pela dedicação, pelo carinho, pelas palavras, pelo apoio, pela amizade. Por me trazer LUZ, me ajudar a alcançar a CURA.

Eu venci o vaginismo!!!”

 

 

 

Agendamento de consultas ou dúvidas? Entre em contato conosco:

Corpore & Mente

Tel: (11) 2495-7254 / 96340-0948

e-mail: liviafrulani@corporemente.com

 

Ah, não deixe de se inscrever no Blog, assim você receberá notificação de novos posts por e-mail! E ajude outras mulheres compartilhando nossos textos nas redes sociais!

 

#AssoalhoPelvico #Perineo #Pelve #Vagina #Vaginismo #Dor #Dificuldade #Penetracao #DorNaRelacao #DorNoSexo #Tratamento #Exercicio #Cura #Depoimento #Historia #Relato #FisioterapiaUroginecologica #FisioterapiaPelvica #LiviaFrulani

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s